noticias

Maior assaltante de bancos e carros-fortes do RS é suspeito de assalto em Bento


Papagaio, maior assaltante do RS
(Foto: arquivo)
Passados quatro meses do assalto ao carro-forte ocorrido no km 198 da BR-470, em Bento Gonçalves, a polícia investiga um dos mais conhecidos assaltantes de bancos no Rio Grande do Sul, Cláudio Adriano Ribeiro, conhecido como Papagaio, apontado como participante e mentor do assalto ocorrido no mês de fevereiro.

Após explodirem o carro-forte e fugirem por estradas vicinais, em direção a Verissímo de Matos, Linha Alcântara, Vale Aurora, os criminosos renderam uma família e roubaram dois carros na localidade de Nossa Senhora do Caravaggio, interior de Monte Belo do Sul, cerca de 8 km do trevo de acesso ao município na ERS-444 onde tinha uma barreira policial e houve troca de tiros entre policiais e bandidos. Três criminos foram presos na oportunidade.

Numa rápida ação da Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, três criminosos identificados como Marcelo Veloso da Silveira, de 35 anos, Luigi Pereira da Silva, de 20, e Fernando Toledo Bastos, de 35 anos foram presos no dia do assalto e R$ 828 mil recuperados, além de uma grande quantidade de armas. Os presos foram encaminhados para a delegacia de Bento e foram transferidos para Porto Alegre, devido ao caso ser investigado pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Um mandado de prisão preventiva contra Cláudio Adriano Ribeiro foi expedido há pouco mais de dez dias pela justiça. Os indícios da participação de Papagaio no ataque surgiram a partir de depoimento dos três que foram presos no local do crime e também de testemunhas do assalto.

Para a polícia há fortes indícios de Papagaio na cena do crime e ainda o assaltante teria sido um dos criminosos que teria interceptado o carro-forte. Ele foi reconhecido por funcionários da Brinks. Um dos presos pelo ataque, em depoimento, também contou aos agentes que Papagaio foi um dos responsáveis por unir o grupo e por ser um dos líderes dos assaltantes.

Metralhadora foi apreendida no dia do assalto
(Foto: Bruno Mezzomo/arquivo)

O assalto chamou atenção na região pelo poder ofensivo da quadrilha. Uma metralhadora .50, que pode derrubar até aeronaves foi apreendida pela primeira vez no Estado depois do ataque ao carro-forte. Os peritos ainda estão em fase inicial de análise do armamento, portanto, ainda não é possível saber se é uma arma nova ou se teve peças originais trocadas. A polícia ainda investiga, também em fase inicial, a origem da metralhadora, possivelmente desviada de alguma força armada e trazida de fora do Brasil.

O Papagaio, passou a ser considerado foragido ao não se apresentar no retorno da saída temporária determinada para ele pelo Patronato Lima Drummond, em Porto Alegre, onde cumpria pena do regime semiaberto. Papagaio é tido como um dos assaltantes de banco mais perigosos do Rio Grande do Sul.

Assalto ocorreu no dia 6 de fevereiro
(Foto: Bruno Mezzomo/arquivo)

Ele estava no regime semiaberto quando teve a progressão de pena autorizada pela 1ª Vara de Execuções Criminais (VEC) sob justificativa de bom comportamento. Também foi levado em conta um parecer do Ministério Público para a progressão. Antes disso, ele estava no Presídio de Alta Segurança de Charqueadas (PASC), de onde foi o primeiro detento a fugir na história do local, em 1999.

O criminoso foi condenado a 53 anos de prisão e começou a cumprir a pena em 1998. Em abri de 2011, após progredir, pela primeira vez, para o regime semiaberto, em Montenegro, cidade da Região Metropolitana, ele não se apresentou de saída, e foi recapturado um ano depois, em Brusque, em Santa Catarina.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *